Anúncios

O que é o CIEE?

O Centro de Integração Empresa-Escola é uma associação civil sem fins lucrativos e de utilidade pública, constituída a nível estadual e reconhecida como Entidade Beneficente
de Assistência Social pelo Conselho Nacional de Assistência Social (CAPS). Cada estado possui um CIEE a nível local, com uma história e uma trajetória únicas.

Boa parte dos CIEE foram formatos por volta da década de 1960, com o objetivo de atacar a questão do descompasso entre a formação profissional e a capacitação do estudante para ingresso no mercado de trabalho. Em geral, os CIEE contam com parcerias de diversas instituições para desempenharem suas atividades, como Federações de Indústria, Federações de Comércio, Associações Comerciais, Secretarias de Estado e Instituições de Ensino de Nível Médio e
Superior.

Os Programas de Estágio do CIEE renderam, no decorrer da história da entidade, diversos frutos, que hoje podem ser vistos com diversos cargos de destaque ocupados por estudantes que passaram pela associação.

Além do estágio, os CIEE buscam também atuar junto aos Menores Aprendizes, num programa previsto pela Lei nº 10.097/2000, voltado para jovens de 14 a 24 anos de idade. Ademais, a atuação dos CIEE costumam trabalhar com outros fatores para melhorar os índices de empregabilidade, como oferecer cursos de capacitação gratuitos de informática básica e outros conhecimentos elementares.

Por óbvio, cada CIEE terá a sua organização institucional própria, mas essas organizações compartilham alguns valores e objetivos fundamentais entre si. Por exemplo, a visão de serem, cada vez mais, centros de referência do Terceiro Setor, atuando na promoção dos jovens ao mercado de trabalho.

Além disso, têm em comum a missão de contribuírem para os sistema de ensino públicos e privados, por meio da preparação, formação e integração dos jovens ao mundo do trabalho. Como valores, compartilham os CIEE o zelo pelo instituto do estágio, o compromisso de fazer das atividades de aprendizagem e capacitação um compromisso com a educação, o trabalho e a cidadania, o respeito mútuo e a valorização de seus colaboradores.

Sendo assim, os CIEE não poderiam ter uma filosofia diferente a sustentar a atuação do programa, senão um compromisso com o desenvolvimento de competências e relacionamentos interpessoais e hierárquicos aos estudantes, de modo a permiti-los tanto o conhecimento quanto a compreensão dos mecanismos do trabalho, e ao mesmo tempo os preparando para o convívio profissional e o exercício da cidadania.

Essas entidades fazem isso por meio de seus inúmeros Programas de Estágio e capacitação, visando a democratização de conhecimentos como a Informática, Comunicação Eficaz (Oral e Escrita)
e Orientação Profissional.

Consoante as diretrizes da Lei nº 11.788/2008, os CIEE atuam com vista a agregar valor à formação profissional de seus estudantes, o que só é possível através das inúmeras parcerias da entidade com empresas e instituições de ensino.

Com o passar do tempo, a atuação dos diversos CIEE tem lhes rendido várias certificações de órgãos oficiais como o Conselho Nacional de Assistência Social, com o reconhecimento de sua utilidade pública a nível municipal, estadual e federal.

Esses títulos servem, antes de mais nada, como estímulo para que as entidades busquem sempre aprimorar seus programas, com a garantia da qualidade e do valor social dos serviços prestados.

Além do foco no desenvolvimento humano, os CIEE também atuam junto à evolução das tecnologias industriais e da nova gestão e organização do trabalho, o que requer uma constante e perene atualização e valorização tanto dos recursos humanos quanto dos tecnológicos.

Nesse sentido, as entidades costumam manter equipes especializadas no atendimento aos estudantes, empresas e instituições de ensino, ao passo que buscam a atualização tecnológica como garantia e consolidação da qualidade dos serviços prestados.

Vale também lembrar que os CIEE trabalham sob regime estatutário próprio, sempre desenvolvendo e cultivando a justiça e ética no seio de suas ações.

Ademais, a prioridade dos CIEE não se estende apenas sobre os estudantes, empresas e instituições de ensino envolvidas no cotidiano das entidades, mas também recai sobre seus próprios profissionais internos, vistos como o maior patrimônio social dos CIEE. Para estes colaboradores, há uma constante busca por condições dignas de trabalho.

É esperado desses funcionários, além de um certo orgulho por fazerem parte dos CIEE, a perene busca por melhorias voltadas à missão das entidades, a saber, assegurar o direito à cidadania e à dignidade dos futuros profissionais do país.

Programa Jovem Aprendiz

Tendo em vista as diretrizes e princípios dos CIEE, não admira que recaia tanto enfoque sobre o Programa de Aprendizagem, desenvolvido em consonância com a Lei nº 10.097/2000, que tornou possível a inserção de jovens e adolescentes no mundo de trabalho, através de um contrato especial com vínculo empregatício e condições determinadas, como uma forma de impedir o trabalho e a exploração laboral infantil.

A aprendizagem abre muitas portas não para o jovem, mas também para empresas, vez que possibilita novas oportunidades de trabalho e formação.

Além de versar o aprendiz no desempenho das atividades profissionais, dando condições para que ele aprende e se adapte ao mundo do trabalho, o Programa do Jovem Aprendiz também tem o condão de gerar valor dentro das empresas. As mentes criativas e vicejantes dos aprendizes, dentro das linhas do programa, visam sempre oferecer as soluções mais atualizadas e rápidas às empresas contratantes.

Desse modo, o programa constitui uma formação técnico-metódica que se dá através de atividades práticas e teóricas, sempre dispostas de modo a favorecer o aprendizado progressivo, com complexidade ascendente.

Qualificam-se para o programa estudantes tanto da rede pública quanto da particular, com a matrícula e a frequência escolar em dia nas séries finais dos Ensinos
Fundamental e Médio, com idade de 14 a 24 anos, com foco para aqueles em situação de vulnerabilidade social.

O limite de idade, é bom lembrar, não se aplica para aprendizes com algum tipo de deficiência. Para realizar o pré-cadastro para o Programa de Aprendizagem do CIEE do seu estado, acesse o site oficial da entidade. Via de regra, a conclusão do cadastro requer a presença em uma unidade física do CIEE portando documentos pessoais, a saber, RG, CPF, CTPS, declaração de matrícula ou histórico escolar e comprovante de residência. Depois disso, o jovem será incluído no banco de dados e será convocado para seleção conforme a abertura de novas turmas.

You May Also Like

Jovem Aprendiz Personale – Consultoria em Recursos Humanos

Anúncios A Personale é uma consultoria que nasceu no ano de 1993.…

Jovem Aprendiz Vale – A maior mineradora do mundo

Anúncios A Vale é a maior mineradora do mundo e transforma recursos…

Jovem Aprendiz Sodexo – Comercialização de serviços

Anúncios A Sodexo é uma empresa que é uma multinacional, com sede…